Vídeo gravado ao anoitecer onde registro o ato de varrer as folhas acumuladas numa piscina desativada. O gesto de varrer, muito comum entre os afazeres domésticos, aos poucos se torna atividade pouco funcional, uma vez que as folhas são reunidas e espalhadas repetidamente no espaço. A piscina que deveria estar cheia d’água é preenchida com escuridão conforme a ação se desdobra entre o fim da tarde e o início da noite. Como se perder dentro redimensiona, cambia, os sentidos conforme o tempo da ação numa brincadeira entre gesto, imagem, som e aquilo que consideramos ruído, que se perde na visão ou na escuta.